É nesta fase que a criança começa a fazer mais atividades físicas, principalmente no ambiente escolar, que exigem mais sua capacidade motora. Ela se torna um pouco mais independentes dos pais, e, conseqüentemente, começa a ter uma maior segurança nas suas próprias atitudes, o que faz com que tenha mais coragem de executar atividades perigosas, como pular de lugares altos.

Os pais que tem filhos com essas idades precisam tomar alguns cuidados, pois muitas vezes a segurança em excesso pode aumentar o risco de acidentes.

É também nesta fase também que a criança começa a se interessar por esportes. Os pais precisam ficar atentos, garantindo que a criança está aprendendo os movimentos de maneira correta, evitando assim posturas erradas.


Os pais devem estimular os filhos a praticar esportes, que são excelentes para a saúde da criança, desde que não praticados em excesso. Deixe-o escolher aquele esporte que mais o agrade: natação, futebol, tênis, atletismo ou qualquer outro.

Se o seu filho não gostar do esporte escolhido, não chame a sua atenção. Deixe que ele pratique outros esportes, mesmo que demore muito tempo para ele escolher aquele que realmente lhe agrada. O fato de seu filho trocar de esportes repetidas vezes não significa que ela é indecisa, mas que está descobrindo seus limites e preferências. de vida e evitar futuros problemas de fertilidade.
Acredito que desde os primórdios da humanidade, temos a mania de gostar de ser testados. As pessoas gostam de ver seus limites e até onde conseguem chegar. Hoje temos vários tipos de testes, para medir o nosso QI - Quociente de Inteligência, até testes bobinhos sobre qual animal é o que mais combina com a sua alma.

Temos alguns testes mais comuns, como teste de força, teste de audição, teste da Copel, teste de velocidade e vários outros que sempre colocam a prova alguma coisa.

A medição de ser melhor que alguém é algo que está no nosso sangue. Nossos antepassados só sobreviveram a era pré histórica e todas as outras, porque se adaptaram muito bem as condições e ao contexto histórico da época.



Como por exemplo, durante a era glacial, só sobreviveram os animais e humanos que conseguiram encontrar meios de se aquecer e abrigar-se diante do frio e do congelamento dos marés e de fontes de comida. Somente os fortes ou mais adaptáveis passaram disso.

Durante a era medieval onde tudo era considerado heresia e faltava muito pouco para qualquer um ser um herege, só os que abaixaram a cabeça para a inquisição da igreja católica conseguiram sobreviver. Outros criaram novas religiões como Martim Lutero.

Mais atualmente, na Primeira e na Segunda Guerra Mundial, as pessoas tiveram que se adaptar a várias coisas, quem era judeu, tinha que mudar de país e fugir da Europa no geral para conseguir ter uma chance de manter a linhagem viva, no final da guerra, quem era considerado nazista, fugiu para as américas em busca de abriga e de que não fossem encontrados e julgados pelos crimes cometidos contra a humanidade.


Esses testes nada mais seriam do que uma maneira de por a prova toda a humanidade, não é mesmo? Desde o seu teste do papel, até os testes de sobrevivência que consequentemente temos que enfrentar. 
Devido ao seu alto teor de fibras, quando consumida crua a berinjela é de difícil digestão, por isso aconselha-se o preparo à milanesa, ao forno ou recheada.

A berinjela (Solanum melongena), fruto de origem indiana, contém carboidratos, proteínas e é rico em sais minerais, como sódio. Possui também vitaminas A, C e as do complexo B e pequenos teores cálcio, fósforo, ferro, potássio, magnésio e enxofre. O consumo dessa planta vem crescendo depois das amplas pesquisas que indicaram que ela pode servir de auxílio no controle do colesterol presente no sangue.


A berinjela pode ser encontrada nas variedades escura, rajada e clara, porém a líder de venda é a de coloração mais escura, roxo-azulada, com uma casca lisa e fina. Devido ao seu alto teor de fibras, quando consumida crua a berinjela é de difícil digestão, por isso aconselha-se o preparo à milanesa, ao forno ou recheada. A escolha depende do seu gosto e da disponibilidade que você tem para preparar o prato.

Dica Final: Para que a berinjela não fique e escura, depois de cortá-la você pode pingar algumas gotas de suco de limão.
Com o desenvolvimento e descobertas do homem a partir do avanço da tecnologia, muitas coisas ficaram possíveis como a produção de carros em larga escala, a produção de máquinas desde agrícolas até de tear e produção têxtil, muito disso obtido com a revolução industrial e por meio das guerras que o mundo teve que enfrentar.

Com tudo isso, e também a causa de tudo isso, sempre foi o petróleo, o ouro negro do mundo. Esse líquido formado por meio de dejetos pré históricos, é encontrado nas profundezas dos oceanos ou em regiões que abrigam poços. Tem talvez o papel principal na economia mundial, pois movimenta fundos e troca de todos os locais ao redor do mundo, principalmente o Oriente Médio.



Há registros históricos de que o petróleo já era usado a 4 mil anos antes de Cristo, devido as exsudações e afloramentos que normalmente aconteciam na região da Mesopotâmia, Egito, Pérsia e Judéia. Esses povos já utilizavam o betume para pavimentar as estradas que faziam, calafetação das construções trabalhadas, aquecimento, iluminação e mantimento dentro das casas, até mesmo como laxativos e lubrificantes.

Já os chineses já tinham o costume de perfurar os poços de petróleo por meio de hastes de bambu em 347 antes de Cristo.

Era utilizado também como o óleo da media, utilizado em flechas incendiárias e que era impossível de ser apagado com água, sendo possível somente com areia.

Os árabes utilizavam esse líquido na era cristã para fins bélicos e de iluminação. No Azerbaijão já era produzido e comercializado no ano de 1271 quando o imperador Marco Polo chegou ao norte da Pérsia.

O petróleo como conhecemos hoje, só foi desenvolvido em meados do século XIX. Um escocês criou os processos de refinação, sendo que o primeiro poço a ser perfurado comercialmente foi na Romênia em 1857.


Essa é uma pequena história do petróleo e o que foi acontecendo com o passar do tempo. 
Independentemente da religião, os pais podem aproveitar a data da celebração do nascimento de Cristo para ensinar aos filhos mais sobre a ocasião e também pontuar diferenças curiosas na comemoração do Natal.

A data que celebra o nascimento de Jesus Cristo é uma das mais importantes para o cristianismo. É festejada pela Igreja Católica Romana, pela Igreja Anglicana e pelos protestantes no dia 25 de dezembro. Mas você sabia que para os que seguem a Igreja Ortodoxa – os russos, principalmente – ele é comemorado em 7 de janeiro?

A aproximação da data pode ser uma boa oportunidade para as mães ensinarem aos filhos curiosidades como essa e mostrar que, apesar de o Natal ser importante para diversas religiões, cada uma delas tem particularidades interessantes.

E não apenas as religiões. Ao redor do mundo, os povos de diferentes países perpetuam costumes singulares para a comemoração. Quer um exemplo? Na Alemanha, um pão doce simboliza o Natal há mais de 500 anos. Na Espanha, é o presunto ibérico. Já nos Estados Unidos, as decorações típicas da época ganham as ruas, casas e estabelecimentos comerciais – tudo com muitas luzes e enfeites.

Na Grécia, você pode encontrar barcos iluminados no lugar das estrangeiras árvores de Natal. Os portugueses parecem-se mais conosco e, como nós, têm presépio, presentes, bacalhau e peru – a única diferença é que, no lugar do italiano panetone, eles preferem o bolo-rei.


Sobre os costumes, acredita-se que a tradição da árvore de Natal, que é romana, foi resgatada para depois ser disseminada na Alemanha no século 15. E o Papai Noel resulta de uma evolução do culto a São Nicolau, um costume dos holandeses, que levado à América por imigrantes foi rebatizado de Santa Claus nos EUA.

Contar para as crianças como surgem os costumes ajuda-as a lidar com a diversidade e a entender que temos costumes diferentes dos de outros povos. Nessa empreitada, a internet mostra-se, uma vez mais, uma boa aliada. Listamos alguns endereços eletrônicos interessantes:

Para colaborar - Wikipédia


A já tradicional biblioteca colaborativa on-line é um bom ponto de partida, pois lá você encontra a história do Natal e também os significados de símbolos e tradições, como a árvore de Natal, músicas natalinas, presépio, amigo secreto/oculto e decoração.

Para cantar


Procurando as letras das canções natalinas? Essa página reúne músicas tanto em português – como «Noite Feliz» e «Então é Natal» – quanto em inglês. A dica é selecionar aquelas que você e a criançada mais gostam e imprimir (ou ler na tela) no dia do Natal ou enquanto montam a árvore.
Tecnologia do Blogger.